sexta-feira, 4 de março de 2011

As principais transações da história da NBA




Semana passada foi uma das mais movimentadas da história em relação a transferências. Estrelas como Carmelo Anthony, Chauncey Billups e Deron Williams sendo trocadas, além de jogadores do nível de Kendrick Perkins, Nate Robinson, Gerald Wallace, Jeff Green, Aaron Brooks, Baron Davis, Mo Williams, Mike Bibby, Kirk Hinrich, entre outros. Quais dessas trocas darão certo só o futuro dirá, mas podemos dar uma olhada na história das negociações ao longo dos anos. Quais foram as trocas mais bem sucedidas? E as mais desastradas? Quais moldaram a liga e decidiram campeonatos? Quais afundaram franquias inteiras? E as que não deram em nada para nenhum dos lados? Como o objetivo do blog é falar sobre a história da liga, nada mais apropriado neste momento do que fazer um post sobre as mais importantes transações que a NBA já presenciou. O objetivo do texto não é dizer, por exemplo, se determinada troca foi inteligente ou idiota, pois tudo depende do contexto da época, dos motivos dos times envolvidos e de uma série de fatores que incluem sorte, contusões, adaptação, etc. Analisá-las anos depois de concretizadas é fácil. Portanto, listarei as principais transferências que já ocorreram, desde o começinho da liga, em 1946, até os dias de hoje, com um breve comentário sobre cada uma. Boa leitura.


AS TOPS

As mais importantes de todos os tempos. Trocas fundamentais, que montaram times campeões e moldaram a liga.


- Bill Russell (Hawks) por Ed Macauley e Cliff Hagan (Celtics) - 1956 : No draft de 1956, o Rochester Royals tinha direito à primeira escolha. O St Louis Hawks à segunda. E o Boston só na segunda rodada. Apesar da estrela da loteria ser Bill Russell, os Royals já contavam com a presença do ótimo Maurice Stokes e não desejavam outro reboteiro na equipe. Com isso, Russell cairia no colo dos Hawks. Porém, o time não quis pegar a quantia pedida pelo pivô para ingressar na equipe e criou-se assim um impasse. Red Auerbach, lendário técnico celta, aproveitando-se da situação e louco para ter Russell no time, propôs a troca entre ele e seu pivô Ed Maculey. O St. Louis ouviu a proposta e exigiu a inclusão de uma promessa dos Celtics na parada: Cliff Hagan. O Boston topou e trouxe para o time o jogador mais vitorioso da história da NBA. Russell faturaria 11 títulos e seria o grande comandante da maior dinastia da NBA. Cliff Hagan virou um ótimo jogador e Ed Macauley foi um All-Star, mas não há dúvidas de quem saiu ganhando nessa troca..

Obs 1: No mesmo draft, an chamada escolha territorial, o Boston ficou com Tom Heinsohn, outro craque que formaria a dinastia celta.

Obs 2: Maurice Stokes, principal motivo dos Royals não terem escolhido Russell, sofreu um acidente 2 anos depois, em 1958, que acabaria encerrando prematuramente sua carreira e futuramente sua vida.


Relevância Histórica : 10/10


Russell e Chamberlain


- Wilt Chamberlain (Warriors) por Connie Dierking, Paul Neuman, Lee Shaffer e dinheiro (76ers) - 1965:
Chamberlain foi draftado pelo Philadelphia Warriors – que depois se tornou San Francisco Warriors – e foi lá que bateu a maior parte dos recordes de sua carreira. Porém, o título não veio. Em 1964-65, seu time estava em crise financeira e não podia mais contar com o alto salário do pivô. Wilt acabou voltando para Philadelphia, para jogar nos 76ers, em troca de três jogadores razoáveis. Sem dúvida uma das trocas mais desiguais que já ocorreram.

Relevância Histórica: 9/10


- Wilt Chamberlain (76ers) por Jerry Chambers, Archie Clark e Darrall Imhoff (Lakers) - 1968 : Depois de 9 anos de carreira e apenas 1 título conquistado, graças, principalmente, ao esquadrão do Boston Celtics, Chamberlain queria mudar de ares e foi, aos 31 anos de idade, para o Los Angeles Lakers. Apesar da idade, Chamberlain ainda jogava em altíssimo nível e ajudou os Lakers de Jerry West a ganharem um título em 1972, dezoito anos depois de seu último triunfo. Jerry Chambers e Darral Imhoff foram jogadores medianos e Archie Clark era um bom armador que participou duas vezes do Jogo das Estrelas.

Relevância Histórica: 9,0/10


- Kareem Abdul-Jabbar e Walt Wesley (Bucks) por Elmore Smith, Junior Bridgeman, Brian Winters e Dave Meyers (Lakers) - 1975: Outra troca fundamental para a história da NBA. Kareem Abdul-Jabbar e Los Angeles Lakers formaram uma das melhores parcerias que já existiram entre jogador e franquia. Jabbar havia jogado 6 anos no Milwaukee Bucks e faturado um título, porém, após a temporada 1974-75, declarou que desejava jogar em um pólo cultural maior, como Los Angeles ou New York. Acabou indo para os Lakers em troca de quatro atletas. Kareem faturaria mais 5 títulos em L.A. jogando com Magic Johnson  no Showtime e se tornaria o maior cestinha da história da liga. Para os Bucks, sobraram principalmente os bons armadores Bridgeman e Winters. A franquia nunca mais foi campeã.

Relevância Histórica : 10/10


Jabbar e Magic


- Gail Goodrich (Lakers) por 2 escolhas de primeiro round mais uma de segundo round futuras( Jazz) - 1976 : Goodrich, excelente armador da década de 70, jogou seis anos pelos Lakers. Quando seu contrato terminou, já com 32 anos, foi para o New Orleans Jazz por futuras escolhas de draft. Uma dessas escolhas era para a loteria de 1979. Com a péssima campanha do Jazz na temporada anterior, o Los Angeles ficou com a primeira escolha e arrebatou o gênio Magic Jonhson. Foram cinco títulos e muito show numa carreira dedicada exclusivamente ao time californiano.

Relevância Histórica : 10/10


- Oscar Robertson (Royals) por Flynn Robinson e Charlie Paulk (Bucks) - 1971: Oscar Robertson, um dos maiores jogadores da história da liga trocado por dois jogadores razoáveis? Isso nunca vai parecer certo, né? Pois é. A transação chocou todo mundo na época e aparentemente sem razão Robertson foi trocado. Dizem as más línguas que o motivo foi o ciúme que o técnico dos Royals, o ex-armador genial Bob Cousy, estava sentindo pelo destaque dado ao também armador Robertson. Verdade ou não, o fato é que Big O não pediu para ser trocado. O jogador chegou aos Bucks em 1971, com 31 anos, e logo em sua primeira temporada conquistou seu único título na carreira, jogando ao logo de Kareem Abdul-Jabbar, ainda conhecido como Lew Alcindor.
 
Relevância Histórica : 9/10


- Moses Malone (Rockets) por Caldwell Jones e uma escolha de primeiro round (76ers) - 1982: Ídolo do Houston Rockets por 5 temporadas, Moses Malone não conseguiu dar a equipe um título. Ao término de seu contrato, em 1982, o pivô foi trocado por Caldwell Jones e uma rodada de primeiro round com o Philadelphia 76ers. No novo time, contando com companheiros do nível de Julius Erving e Maurice Cheeks, o então MVP da liga foi campeão logo em sua primeira temporada. A exemplo de Robertson, foi seu único título na NBA. O outro participante da operação, Caldwell Jones, foi um competente reboteiro e nada mais que isso.

Relevância Histórica : 9/10


- Robert Parish e Kevin Mchale (Warriors) por Joe Barry Carrol e Rickey Brown (Celtics) - 1980: Explicando melhor pois assim parece muuuuito injusta. Foi só um pouco menos. Seguinte: no draft de 1980, os Celtics tinham direito a primeira e a décima terceira escolha, enquanto o Golden State possuía a terceira. O que Red Auerbach, GM celta na época, fez? Convenceu os Warriors a trocarem o pivô Robert Parish e a terceira escolha que tinham pelas duas escolhas do time. Pois bem, a escolha de número 1, agora do Golden State, virou Joe Barry Carrol, competente pivô que passou pela liga sem deixar saudades. A décima terceira virou Rickey Brown, jogador fraquíssimo. E a terceira escolha, agora dos Celtics, virou ninguém mais ninguém menos que a lenda Kevin McHale, um dos maiores alas-pivô da história. Com isso, em uma só tacada, o Boston tinha um novíssimo e competente garrafão para a década de 80. A dupla faturou três títulos com a companhia de Larry Bird.
  
Relevância Histórica : 10/10


- Scottie Pippen (Warriors) por Olden Polynice (Bulls) - 1987: No draft de 1987, o Seattle Supersonics tinha a quinta escolha e pegou Scottie Pippen. Três posições depois o Chicago Bulls escolheu o ala-pivô Olden Polynice. Imediatamente os dois times trocaram os jogadores. Pippen virou um dos melhores jogadores da NBA e coadjuvando Michael Jordan foi 6 vezes campeão da liga. Um dos melhores defensores de todos os tempos e um jogador extremamente completo, Pippen foi fundamental nos títulos. Polynice não passou de um jogador meia-boca.

Relevância Histórica: 9,5/10


- Kobe Bryant (Hornets) por Vlade Divac (Lakers) - 1996: Típica troca fácil de criticar o time que sai perdendo anos depois. Olhando hoje, parece bizarro, mas na época não era. Divac era um ótimo pivô que estava no auge da carreira com 27 anos. Kobe era um moleque do colegial com enorme potencial, mas ainda assim um moleque. Como sabemos, Bryant virou um dos melhores jogadores da história e ídolo inconteste dos Lakers enquanto Divac ficou apenas dois anos no Charlotte Hornets. Além disso, a troca abriu espaço salarial para a contratação de Shaquille O´Neal, que com Kobe, formaria uma das duplas mais vitoriosas de todos os tempos.


 Relevância Histórica : 10/10







- Shaquille O´Neal (Lakers) por Lamar Odom, Caron Butler e Brian Grant (Heat) - 2004: Depois da derrota dos Lakers para os Pistons na Final da NBA em 2004, os dirigentes do Los Angeles resolveram começar a estruturar o time a partir de Kobe Bryant e isso incluía a troca de seu desafeto Shaquille O´Neal, então com 31 anos. Depois de recusada uma troca por Dirk Nowitzki, do Dallas Mavericks, o Diesel acabou indo para o Miami por Caron Butler, Lamar Odom e Brian Grant. Odom seria parte importante dos títulos recentes (2009/2010), Caron Butler jogou apenas um ano pela equipe e foi trocado para os Wizards e Brian Grant estava em fim de carreira. O´Neal continuou atuando em altíssimo nível e venceu seu quarto campeonato em 2006 jogando ao lado de Dwyane Wade.

Relevância Histórica : 8,5/10


- Kevin Garnett (Wolves) por Al Jefferson, Ryan Gomes, Sebastian Telfair, Gerald Green, Theo Ratliff e duas futures escolhas de primeiro round (Celtics); Ray Allen (Sonics) e Glen Davis por Jeff Green, Wally Szczerbiak, Delonte West e uma futura escolha de segundo round (Celtics) - 2007: Coloquei as duas juntas pois ocorreram no mesmo ano e marcaram o renascimento do time celta. Allen e Garnett se juntaram a Paul Pierce e tiraram o Boston de uma longa fila de títulos que vinha desde 1986. Os Celtics se desfizeram praticamente de todo seu elenco de apoio para investir nas duas estrelas e depois contratar veteranos dispostos a receber menos para ganhar um anel. Deu certo e o time já chegou a duas finais desde 2008. As duas contra os Lakers, com uma vitória para cada lado. No momento o time é o líder do Leste e concorrente forte ao título.

Relevância Histórica : 9/10



Big Three


- Paul Gasol (Grizzlies) por Kwame Brown, Javaris Crittenton, Aaron McKie, Marc Gasol e duas futures escolhas de primeiro round (Lakers) - 2008: Você deve se lembrar da enorme revolta que essa transação causou no mundo da NBA. Paul Gasol jogava no Memphis Grizzlies e era um dos melhores alas-pivô da liga. Kwane Brown era uma das primeiras escolhas de draft mais desastosas da história, Crittenton sempre foi ruim, Mckie estava em fim de carreira e Marc Gasol, irmão de Paul, nem tinha estreado na NBA. Pois é. Gasol chegou nos Lakers e imediatamente fez o time crescer de produção faturando um título já em seu segundo ano na equipe. Repetiria o sucesso no ano seguinte sempre complementando com extrema competência Kobe Bryant. Para o Memphis a troca acabou saindo melhor do que se esperava. Marc se mostrou um bom pivô e com o contrato expirante do Kwane Brown o time assinou com Zach Randolph.

Relevância Histórica : 9/10


AS ESSENCIAIS

Trocas envolvendo grandes jogadores, algumas até acabando em títulos, mas sem a repercussão ou o impacto das anteriores.


- Transação tripla entre Detroit (recebeu Rasheed Wallace e Mike James), Atlanta Hawks (recebeu Zeljko Rebraca, Bobby Sura e uma escolha de primeiro round) e Boston Celtics ( recebeu Lindsey Hunter, Chucky Atkins e uma escolha de primeiro round) - 2003: A troca envolveu vários jogadores medianos e Rasheed Wallace. Wallace era um jogador tão talentoso quanto problemático e depois de jogar 6 anos pelo Portland, desembarcou em Detroit. O time dos Pistons era forte com Rip Hamilton, Chauncey Billups e Ben Wallace, mas faltava alguma coisa. No ano seguinte chegaram o novato Tayshaun Prince e Rasheed. O time continuou muito forte na temporada regular e melhorou justamente onde interessa, nos playoffs. Wallace contribuía no ataque e principalmente na defesa, formando com Big Ben um garrafão dos mais protegidos da história. Em 2003-04, os Pistons bateram o super time formado pelos Lakers nas Finais por 4 a 1 e no ano seguinte chegaram a mais uma decisão perdendo em 7 jogos para os Spurs.

Relevância Histórica: 8/10



- Dennis Rodman (Spurs) por Will Perdue (Bulls) - 1995: Rodman foi trocado para os Bulls antes da temporada 1995-96 para preencher o espaço deixado por Horace Grant, transferido para o Orlando Magic. Aos 34 anos, o ala-pivô estava no San Antonio Spurs, clube que atuou por dois anos. Apesar da idade, Rodman não decepcionou e se adaptou rapidamente ao time, implementando sua forte defesa e a capacidade extraordinária de pegar rebotes. Foram mais de 15 por jogo enquanto esteve lá. Participou do segundo tri-campeonato dos Bulls (1996-98) nos três anos em que lá esteve.
 
Relevância Histórica: 8,5/10


- Earl Monroe (Bullets) por Mike Riordan, Dave Stallworth e dinheiro (Knicks) - 1971: Monroe era um belíssimo armador da década de 70 e se juntou a Walt Frazier, outro armador, no New York Knicks. Passando por cima das dúvidas se eles conseguiriam jogar juntos, a dupla se tornou um sucesso e foi campeã da NBA na temporada 1972-73. Riordan e Stallworth passaram pela liga sem deixar saudades.

Relevância Histórica: 8,0/10


- Clyde Drexler e Tracy Murray (Blazers) por Othis Thorpe (Rockets): Depois de uma vida inteira dedicada ao Portland Trail Blazers, o sensacional Drexler pediu para ser trocado na temporada 1994-95 por um time que disputaria o título. Acabou indo, junto com o mediano Murray, para o Houston, atual campeão da liga, pelo veterano Thorpe. Clyde chegou no meio da temporada e junto com seu antigo parceiro de faculdade, Hakeem Olajuwon, liderou o time a mais um título, seu único na carreira. Drexler foi sensacional nos playoffs com 21.5 pontos, 9.5 rebotes e 6.8 assistências por jogo.

Relevância Histórica: 8,0/10


- Dirk Nowitzki (Bucks) por Robert Taylor (Mavericks) - 1998: No draft de 1998, dois times em particular queriam escolher o alemão: Mavericks (oitava escolha) e Celtics (décima). O Milwaukee queria Robert Traylor, estrela do basquete universitário que estava cotado para ser escolhido antes de Dirk e o Phoenix Suns estava de olho no ala Pat Garrity. Além disso, Don Nelson, técnico do Dallas, também desejava o armador reserva do Suns, o jovem Steve Nash. O que aconteceu então? Os dirigentes dos três times fizeram uma reunião e ficou combinado que os Mavericks escolheriam Traylor com o oitavo pick e Garrity com o décimo nono, ao passo que os Bucks pegariam Nowitzki com a nona escolha. Imediatamente após o draft seriam trocados Dirk por Traylor e Garrity por Nash. Em uma só tacada, Nelson selecionou o maior jogador da história do Dallas e um dos melhores armadores de todos os tempos. Robert Traylor foi uma bomba na NBA e Garrity não passou de um jogador fraco/mediano.

Relevância Histórica: 8/10


Foto sensacional


-Mark Aguirre (Mavericks) por Adrian Dantley (Pistons) - 1989: Dois grandes pontuadores da década de 80 participaram dessa troca entre Pistons e Mavericks. A transação foi concretizada no meio da temporada 1988-89, com Aguirre se juntando a nomes de peso como Isiah Thomas, Joe Dumars, Bill Laimbeer e Dennis Rodman. Depois de baterem na trave por dois anos seguidos, os Pistons finalmente faturariam um título com a chegada de Aguirre, varrendo os Lakers na decisão. O ala venceria mais um troféu no ano seguinte com a franquia.

Relevância Histórica: 8/10


- Dennis Johnson (Suns) por Rick Robey e futuras escolhas de draft (Celtics) - 1983: Johnson foi um dos melhores armadores da época e parte importante do timaço celta da década de 80. Robey nunca passou de um jogador meia-boca e os Suns caíram várias posições com a troca.

Relevância Histórica: 8/10


- Charles Barkley (76ers) por Jeff Hornacek, Andrew Lang e Tim Perry (Suns) - 1992: Barkley era um dos melhores jogadores da kiga, mas queria ser trocado do 76ers, clube que havia jogado toda sua carreira. O destino foi o Phoenix Suns, que com Barkley chegou à final da NBA em 1993 perdendo para o Chicago Bulls. O ala-pivô jogou quatro anos em Phoenix em alto nível com mais de 20 pontos e 11 rebotes por jogo. O Philadelphia ficou com o ótimo Hornacek por apenas um ano e com Larry e Perry, duas bombas.

Relevância Histórica: 7,5/10
 

Grande Barkley


- Grant Hill (Pistons) por Ben Wallace e Chucky Atkins (Magic): Essa é bem curiosa. E é o melhor exemplo do quão perigoso é analisar uma transação anos depois de concretizada. Hoje em dia é fácil falar que os Pistons se deram bem melhor com a troca, afinal Wallace virou um monstro defensivo e ganhou um campeonato pela equipe, ao passo que Hill sofreu com contusões seriíssimas e nunca mais voltou a jogar o que podia. Mas vamos ver a situação na época: Grant Hill era um dos melhores jogadores do mundo, jogava demais, demais.Em sua última temporada em Detroit, por exemplo, tinha médias de 25.8 pontos, 6.6 rebotes e 5.5 assistências por jogo. Além disso, nunca havia tido problemas com lesões. Ben Wallace, ao contrário, ainda não tinha desencantado na liga e tinha histórico de contusões. Irônico não? A troca que parecia sensacional para o Orlando e péssima para o Detroit virou justamente o contrário. Hill, logo no começo da temporada (jogou 4 jogos), se machucou gravemente e só voltou de fato três anos depois. Wallace virou uma máquina na defesa e faturou 4 prêmios de Melhor Jogador Defensivo da Liga.

Relevância Histórica: 8/10


- Dominique Wilkins (Jazz) por John Drew e Freeman Williams (Hawks) - 1982: Wilkins foi o terceiro escolhido do draft de 1982 pelo Utah Jazz, mas se recusou a jogar lá. Foi trocado para o Atlanta Hawks por John Drew, bom ala-armador mas já em fim de carreira e Freeman Williams, que vivia com problemas de contusão. Wilkins se tornou o maior jogador da história dos Hawks e é um dos grandes cestinhas de todos os tempos.

Relevância Histórica: 8/10


 
- Jason Kidd e Chris Dudley (Suns) por Stephon Marbury, Johnny Newman e Somailia Samake (Nets) - 2001: Podemos resumir a troca entre Kidd e Marbury. O resto taí para fazer figuração. Jason Kidd foi para os Nets e jogou muito, virando ídolo por lá e levando um time razoável para duas finais de NBA. Marbury, em compensação, manteve suas estatísticas elevadas, mas o time caiu muito de rendimento com a mudança de armadores, só se reestabilizando com a chegada de Steve Nash anos depois.

Relevância Histórica: 7,5/10
 

Marbury e Kidd


AS DESIGUAIS

São as trocas em que um time se deu muito bem e o outro muito mal. Envolvem grandes jogadores mas não necessariamente grandes campanhas ou grande importância histórica.


- Vince Carter (Raptors) por Alonzo Mourning, Eric Williams, Aaron Williams e duas futures escolhas de primeiro round (Nets) - 2004: Vendo Alonzo Mourning na troca nem parece tão injusta assim, mas o pivô estava com 33 anos, bichado e nem sequer chegou a jogar pelo Toronto. A dupla de Williams era fraca, ao passo que Vince Carter era um dos melhores jogadores da NBA na época. 

Relevância Histórica: 5/10


- Baron Davis (Hornets) por Speedy Claxton e Dale Davis (Warriors) - 2005: Baron Davis, apesar de todos os problemas de indisciplina, é um belíssimo jogador. Claxton foi um aramdor razoável, com bons momentos, mas que sofreu muito com contusões e jogou apenas 16 partidas pelo Hornets, enquanto Dale Davis era um veterano de 34 anos que nem chegou a entrar em quadra pelo time. Dá pra ser muito pior que isso?

Relevância Histórica: 4/10


- Chauncey Billups, Antonio Mcdyess e Cheick Samb (Pistons) por Allen Iverson (Nuggets) - 2008: Essa é bem recente. Allen Iverson foi um dos grandes pontuadores da história da NBA e conseguiu levar um time fraco para a final da liga em 2001 quando ainda jogava pelos 76ers. Nos Nuggets, o astro encontrou um time melhor com uma estrela (Anthony) e bons jogadores como Nenê, Kenyon Martin e Marcus Camby. Iverson continuou marcando pontos e jogando bem mas sem sucesso nos playoffs. Foi aí que o Denver resolveu arriscar e trocar Iverson por Billups, armador-ídolo dos Pistons. A melhora foi imediata. Enquanto Billups regia os Nuggets como Iverson nunca tinha feito, os Pistons sucumbiam numa crise que só piora até hoje. Foi o começo do fim da carreira do The Answer. Foi o começo do sucesso dos Nuggets

Relevância Histórica: 6,5/10



- Jermaine O´Neal (Blazers) por Dale Davis (Pacers) - 2000: Olha o Dale aqui outra vez. Bela aposta do Indiana. Davis era um ala-pivô competente que flertou muitas vezes com média de double-double na carreira. Estava com 30 anos e ainda jogando em bom nível. O´Neal era um moleque de 21 anos que em 4 anos de NBA não tinha chegado nem a marcar 5 pontos por jogo em uma temporada. A aposta foi arriscada mas valeu. Enquanto Davis caía de produção nos Blazers, Jermaine evoluía monstruosamente, se tornando rapidamente um dos melhores pivôs da liga. As contusões o demoliriam anos depois mas mesmo assim os Pacers acertaram na mosca.

Relevância Histórica: 4/10


- Marcus Camby, Nenê e Mark Jackson (Knicks) por Antonio McDyess (Nuggets) - 2002: O ancião McDyess era um belo jogador em seus primeiros de carreira, chegando a atingir mais de 20 pontos e 10 rebotes por partida em duas temporadas. Porém, uma grave contusão o fez perder dois anos de basquete e o pivô nunca mais voltou a jogar no mesmo nível. A troca aconteceu justamente no momento em que Antonio estava contundido. Os Nuggets ficaram com Camby, eleito inclusive Melhor Jogador Defensivo da  Liga; Nenê, que desde o começo se mostrou um bom pivô e depois de encarar contusões e um câncer voltou a jogar em alto nível; e o armador Mark Jackson, que em fim de carreira nem chegou a entrar em quadra pelo Denver.

Relevância Histórica: 4/10 


- Chris Webber (Wizards) por Mitch Richmond e Othis Thorpe (Kings) - 1998: Webber e Richmond, dois excelentes jogadores. Qual o problema, então? Quando a troca foi concretizada, Webber era uma estrela de 24 anos e Richmond um veterano em decadência com 33. Chris liderou um forte time do Sacramento Kings para finais de Conferência, enquanto Mitch jogava seus últimos anos no Washington sem sucesso. Thorpe não conta porque estava no finzinho de carreira e mal jogou pelos Wizards. Dava pra ter conseguido coisa melhor por Webber, né?

Relevância Histórica: 7,0/10 


- Elton Brand (Bulls) por Tyson Chandler (Clippers) - 2001: Elton Brand já tinha dois anos de carreira e se mostrava um sucesso. Chandler havia acabado de ser draftado pelo Los Angeles Clippers. O que o Chicago fez? Trocou os dois jogadores. Brand virou ídolo dos Clippers e um dos melhores jogadores da liga antes de se machucar feio. Chandler também sofreu com contusões, mas nunca chegou perto do nível de Brand. Nota zero pros Bulls nessa.

Relevância Histórica: 5,5/10   



AS MAIORES  

As trocas que mais envolveram jogadores na história.

13 Jogadores: O Miami Heat recebe Antoine Walker dos Boston Celtics, Jason Williams, James Posey e Andre Emmet do Memphis Grizzlies e Robert Duenas do New Orleans Hornets e envia Eddie Jones para Memphis, Raual Butler para New Orleans, duas futuras escolhas de segundo round, Qyntel Woods e Albert Miralles para Boston. O Utah Jazz recebe Greg Ostertag do Memphis. Boston recebe Curtis Borchardt do Utah e Raul Lopez do Memphis e New Orleans recebe Kirk Snyder do Utah.

12 Jogadores: New York recebe Glen Rice, Travis Knight e uma escolha de primeiro round do Los Angeles Lakers e Vladimir Stepania, Lazzaro Borrel, Vernon Maxwell e duas futuras esxolhas de segundo round do Seattle Supersonics, além de enviar Patick Ewing para Seattle. Los Angeles recebe Horace Grant, Chuck Person, Greg Foster e Emanual Davis do Seattle. Phoenix Suns recebe Chris Dudley e uma futura escolha de primeiro round do New York por Luc Longley.

11 jogadores: Houston envia Michael Dickerson, Othella Harrington, Brent Price, Antoine Carr e uma futura escolha de primeiro round para o Vancouver Grizzlies e recebe Steve Francis e Tony Massenburg dos Grizzlies e Don MacLean e uma futura escolha de primeiro round do Orlando Magic. Orlando recebe Michael Smith, Rodrick Rhodes, Lee Mayberry e Makhtar Ndiaya do Vancouver.


Bom, é isso. Faltaram algumas trocas interessantes e importantes, mas o post já está grande demais com essas. Se faltou alguma importante que deveria estar aqui, dêem toques que vou atualizando o post. Abraços!






0 comentários:

Postar um comentário